Versión para imprimir

21 de abril de 2015 | | | | | | |

As vozes dos atingidos

As consequências da Vale em Moatize, Moçambique

Descargar: MP3 (8.4 MB)

Em 2009, a empresa mineradora de origem brasileira Vale (Vale do Rio Doce nesse então) iniciou o projeto “Moatize” de extração de carvão, no distrito moçambicano de mesmo nombre, província de Tete. A partir desse momento as promessas da empresa têm sido descumpridas e até hoje as comunidades locais resistem aos seus impactos.

Os “oleiros” (trabalhadores que fazem tijolos), cuja fonte de renda sofreu um duro golpe já que o projeto extrativo ocupou a área que utilizavam para obter a argila, matéria prima utilizada em seu trabalho, protestaram. A empresa tinha indenizado de forma insuficiente os trabalhadores, pagando a eles uma quantía que não compensou a perda de suas fontes de sustento. Ao mesmo tempo, as famílias desalojadas pela Vale expressaram seu descontentamento pelas moradías construídas pela companhia, que se deterioraram rapidamente. Estas são apenas algumas das consequências da Vale na zona.

Na conferência que está sendo realizada na capital moçambicana, Maputo, desde terça-feira, intitulada “Semeando Justiça Climática – Encontro em Maputo sobre Soluções Reais à Crise Climática”, há vários atingidos pela Vale da região de Moatize. Rádio Mundo Real gravou a fala de um dos participantes provenientes dessa zona, Isaque Antonio Sampanha, “oleiro” de profissão.

O trabalhador falou dos impactos da Vale, de como ele e seus companheiros foram prejudicados pela empresa e do papel cúmplice com a corporação do governo nacional. A seguir sua exposição na atividade em Maputo.

Imagen: www.thebusinessyear.com

(CC) 2015 Radio Mundo Real 10 años

Mensajes

¿Quién es usted?
Su mensaje

Este formulario acepta atajos SPIP [->url] {{negrita}} {cursiva} <quote> <code> código HTML <q> <del> <ins>. Para separar párrafos, simplemente deje líneas vacías.

Cerrar

Radio Mundo Real 2003 - 2016 Todo el material aquí publicado está bajo una licencia Creative Commons (Atribución - Compartir igual). El sitio está realizado con Spip, software libre especializado en publicaciones web... y hecho con cariño.